COMO É O PROCESSO DE RECAUCHUTAGEM DE UM PNEU?


O pneu é um item extremamente fundamental em qualquer veículo, sendo necessário tomar todos os cuidados possíveis com ele. E essa cautela deve se estender também quando falamos de sua reforma, como no caso da recauchutagem.


Sendo um dos principais meios de reformar o pneu, a recauchutagem é uma forma oferecer uma sobrevida ao equipamento em questão, consistindo no reaproveitamento da estrutura resistente do pneu, desde que ela esteja em boas condições


Mas você sabe como é feita a recauchutagem?


Antes de procurar uma empresa especializada na reparação, é importante saber como ela é feita, para poder ter uma segurança maior ao saber se o procedimento está sendo feito da forma correta e de acordo com as normas estabelecidas.


Muitos ainda desconhecem, mas para que a recauchutagem seja feita é necessário o seguimento de algumas normas estabelecidas.


O instituo nacional de metrologia, qualidade e tecnologia (INMETRO), por meio da portaria n.º 554, de 29 de outubro de 2015 estabeleceu algumas regras para a aprovação e realização da reforma dos pneus, visando obter mais segurança no tráfego de veículos pelo brasil.


Tal legislação procura também proteger o consumidor de eventuais fraudes, estabelecendo em seu item a.1.5 que para a reforma do pneu é necessário:


A) identificação do fabricante;


B) dimensão do pneu;


C) tipo de construção do pneu;


D) a identificação para o uso de câmara (tubetype) ou sem câmara (tubeless);


E) índice de carga;


F) índice de velocidade;


G) selo de identificação da conformidade no âmbito do SBAC (referência do sistema brasileiro de avaliação da conformidade);


H) data original de fabricação.


Os regulamentos do instituo nacional de metrologia afetam também a reforma de pneus de veículos pesados. Boa parte dos pneus de caminhão é fabricada visando receber o processo de recauchutagem. Dependendo do estado de conservação da carcaça o equipamento pode ser reformado de duas a três vezes, no geral.


O processo de recauchutagem


Falando em termos técnicos, a recauchutagem é feita ao se colocar uma nova banda de rodagem no pneu, substituindo a banda desgastada, mas para isso é realizada também a reforma das laterais e dos ombros da carcaça.


Mas isso é só parte do processo de recauchutagem dos pneus, o procedimento se consiste num todo em:


Avaliação: inicialmente, após o pneu ser recebido, é feita uma limpeza e identificação por meio de seu código de barras e, posteriormente, uma inspeção, de forma visual e por meio de testes, como ultrassonografia, indução elétrica e aferição de pressão, tudo para constatar e garantir a utilidade do pneu para reforma.


Raspagem: em seguida a carcaça é preparada para receber os outros procedimentos, sendo feita a raspagem do pneu, fornecendo a simetria adequada.


Escariação: após a raspagem, parte-se para a escariação, onde é feita a limpeza da carcaça mais uma vez, identificando as avarias encontradas (como oxidação) para serem reparadas.


Conserto: a aplicação do conserto é feita em toda a região danificada através de uma borracha especial, visando fornecer a carcaça uma resistência maior.


Aplicação de cola: posteriormente uma nova avaliação é efetuada para analisar utilidade da carcaça, onde se aplica uma cola especial que une a nova banda de rodagem pré-moldada (Camelback) com a carcaça.


Preparação da banda de rodagem: antes de ser aplicada a banda de rodagem é preparada de acordo com a carcaça que será reformada, seguindo suas dimensões e características.


Vulcanização: a carcaça, com a nova banda de rodagem, é levada para o processo de vulcanização, onde o material é colocado em um envelope de borracha e levado para uma roda especial chamada de autoclave, que aplica pressão e calor à carcaça, retirando bolhas e imperfeições. Só esse processo pode levar de duas a três horas para ser concluído.


Inspeção final: por fim, visando garantir que o pneu recauchutado esteja de acordo com os padrões estabelecidos, é feita uma nova inspeção do material e, caso aprovado, o pneu pode ser entregue ao cliente e utilizado novamente nos veículos.

Quando o pneu não pode ser recauchutado?


Nem todos os pneus levados para empresas especializadas podem ser recauchutados. Dentre as devoluções mais comuns estão:


Carcaça envelhecida e inutilizável;

Excesso de oxidação;

Excesso de perfurações;

Danos muito próximos entre si, fragilizando o pneu;

Desgaste excessivo da banda de rodagem;

Textura da borracha fora dos padrões exigidos para a recauchutagem dos pneus.


Agora que você já sabe como é feito todo o processo de recauchutagem, que tal avaliar os beneficios que ela pode trazer para a sua empresa?






3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo